Restrição de Proteínas

RESTRIÇÃO DE PROTEÍNAS NO TRATAMENTO CONSERVADOR DA DOENÇA RENAL

A restrição de proteínas na alimentação quando os rins não estão funcionando muito bem contribui para retardar a progressão da doença renal e controlar os níveis de ureia sanguínea, que quando elevados podem causar sintomas como náuseas e vômitos.

Para diminuir os níveis de ureia, aliviando esses sintomas, e a carga de trabalho renal, economizando esses órgãos tão preciosos, uma das estratégias é o controle da ingestão de alimentos ricos em proteínas, como carnes de todos os tipos, ovos, feijões, leite e seus derivados.

Dito isso, vocês podem estar deduzindo que a melhor opção então seria retirar todos esses alimentos de seu cardápio… NÃO!!!! Pois assim, a chance de desnutrição seria grande. Nem oito nem oitenta! A quantia ideal de proteínas a ser consumida é individualizada e um nutricionista com experiência no tratamento de pacientes com doença renal poderá elaborar plano alimentar de acordo com as necessidades de cada um.

Mas enquanto a data de sua consulta com o nutricionista não chega, opte por apenas um prato principal nas refeições (se comer ovo, não coma carne e vice-versa) e modere no tamanho dessa porção. No café da manhã e no lanche da tarde, se comer queijo, não beba leite nem outro de seus derivados.

Aline Antunes
Nutricionista do INEFRO e doutora na área de nutrição e doença renal.
Ligue e agende sua consulta.
(12) 3625-9300

2018-08-02T11:57:34+00:00