Dia Mundial do Rim – 9 de março de 2017

Os Rins removem as toxinas e líquidos em excesso do sangue, regulam a pressão arterial, são cruciais na formação de glóbulos vermelhos e liberam hormônios extremamente importantes para o equilíbrio químico do organismo – por isso, é justo que exista uma campanha de conscientização global destinada a enfatizar a importância desses nossos órgãos. Este ano o tema da edição é “Estilo de vida saudável para rins saudáveis” e tem como objetivo promover hábitos de vida saudáveis, além de chamar a atenção para a obesidade.

A obesidade é definida como acumulação de gordura anormal ou excessiva que pode prejudicar a saúde e afeta cerca de 641 milhões de adultos (ou 13% da população mundial adulta) e pode chegar até 20% em 2025. A epidemia de obesidade que atinge os países ocidentais é um fator de risco potente para o desenvolvimento de Doença Renal Crônica, epidemia silenciosa que possui formas de prevenção simples; o que explica as contínuas campanhas para alertar a população.

O excesso de peso em nível de obesidade vai diminuindo aos poucos a capacidade de filtrar do rim. Isso acontece porque em uma pessoa obesa, proporcionalmente, o volume de sangue é maior do que em uma pessoa no peso normal. Precisando dar conta deste volume maior de sangue os rins aumentam de tamanho deixando suas dimensões naturais. Consequentemente o néfron também aumenta de tamanho e isto o prejudica.

nefron

Estudos recentes também apontam a obesidade como um fator predisponente para as pedras nos rins, uma vez que a capacidade natural do organismo reagir mediante a insulina pode ser comprometida pelo excesso de tecido adiposo; além disso, pessoas com Índice de Massa Corporal elevado podem apresentar mais cálcio e acido úrico na urina, o que aumenta o risco de formação dos cálculos.

O INEFRO busca colaborar na prevenção incentivando sempre a atenção aos fatores de risco da Doença Renal, diabetes e hipertensão, que nos casos de obesidade podem ser potencializados. Sendo assim, é importante lembrar que a redução da obesidade é possível quando existe dedicação e determinação nos cuidados com a alimentação e prática de atividades físicas – todo esforço vale a pena, uma vez que o retorno ao Índice de Massa Corporal natural pode reverter ou retardar a progressão da Doença Renal Crônica.

2017-05-10T15:33:21+00:00